BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

4 de janeiro de 2012

Desonrada



Relata a vida de  Mukhtar Mai, uma paquistanesa que se transformou em símbolo da luta feminina.  De acordo com  livro, Mukhtar Mai foi até o conselho da aldeia onde nasceu e viveu até então para pedir clemência por seu irmão, um menino de 12 anos que estava sendo julgado por supostamente ter se envolvido com uma menina de um clã superior.A punição determinada pelo chefe do tal clã superior foi o estupro coletivo de  Mukhtar Mai em um chão de terra batida, por  inúmeros homens, um após o outro. Não costumo opinar sobre fatos ou costumes culturais, pois acho de uma prepotência sem limites quem julga os costumes e tradições alheios como selvagens, atrasados ou coisa similar, mas independente de cultura ou de tradição, a violência contra a mulher, ou contra qualquer ser, jamais pode ser admitida e é sempre absurda, selvagem e inaceitável.
Por mais absurdo que pareça, esse não é um caso isolado e agressões desse tipo vêm acontecendo todos os dias, ano após ano, em diversas partes do mundo.
O  fato de   uma vítima de um crime tão bárbaro ter a coragem de expor sua dor diante do mundo inteiro para denunciar a forma como a mulher é tratada em seu país é de uma relevância muito grande, pois foi com esse relato que se iniciou um movimento para contestar e rever hábitos profundamente arraigados na sociedade paquistanesa.
Um livro que causa revolta, que conscientiza , que alerta e que faz brotar, pela indignação, a vontade de fazer algo, por menor que seja, para barrar qualquer ato que venha a violar a dignidade humana. 
Quem quiser ler esse livro é só me enviar um e-mail que envio o PDF, certo?