BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

15 de maio de 2011

Palavra de Sheik

Vocês já notaram que eu estou sempre a bater na mesma tecla de mesquita, sheik, forum e esses assuntos não é?
Pois bem, é que tenho tantos questionamentos aqui comigo vocês nem podem imaginar.
Eu já fui freira durante 7 anos. Foi uma epóca linda na minha vida.  Tenho paixão por Jesus, pelo Evangelho e pela missão cristã que eu, com a graça de Deus tive a oportunidade de consagrar os melhores tempos da minha vida para vivê-la plenamente. Mas como a vida muda, eu pedi afastamento da Vida Religiosa, vim para Portugal e aqui me encontro casada com um muçulmano e mais tarde uma amiga me diria: -Que ironia Neide, você sempre apaixonada por Cristo foi se casar logo com um islamita!  E eu por minha vez usaria da celébre frase para respondê-la: -Pois é minha amiga, Deus tem razões que a propria razão desconhece. Alguma coisa coisa Ele pretende com isso. Eu ainda nao consegui ver com clareza, e isso faz alguma confusao ainda. Mas eu chego lá! Vocês vão ver como eu não chego. Por isso uso do  pouco tempo que tenho livre para ler, estudar mais a Bíblia, ler o Alcorão, vou  a Mesquita tanto para aprender como para conviver com conterrâneas brasileiras e concidadãs portuguesas que estão na mesma situação que eu casadas com muçulmanos e buscando conhecer a religião do marido um pouco mais, procuro ler sobre  Mohammad, que eu como cristã nao considero profeta, mas não posso negar a influência que ele teve e tem no mundo e na sociedade. E tambem, tenho aprendido muita coisa sobre o judaísmo,  a sua visão sobre Jesus e sobre as demais religiões. Tudo isto é complexo mas esclarecedor ao mesmo tempo. Nunca tinha tido a oportunidade de estudar, mesmo que autodidaticamente, as religiões sobre esta perspectiva. Contudo, está sendo frutífero, estou adquirindo uma visão alargada da minha fé e da fé dos demais. Estou questionando muito a minha religião, o meu livro sagrado, a religiao dos outros, o livro sagrado dos outros, os profetas dos outros.  E quanto mais eu me intensifico, mais certeza tenho que Deus existe, ao contrário do que dizem movimentos ateístas por aí e mais eu gosto da pessoa de Jesus Cristo. Não foi em vão o sangue vertido daquela cruz!
Voltando para o tema, o sheik é uma pessoa moderna,  cabeça aberta, e a vivência do islamismo europeu permite uma pregação muito integrada da nossa realidade sem claro,  fugir dos princípios islamicos e cada vez que lá vou, fico impressionada com o ensinamento dele, ás vezes concordo, as vezes nem por isto, mas eu gostaria de  criar uma sessão aqui  no blog para saber  a opiniao de vocês sobre o que para mim foi relevante no forum.  Pra começar duas coisas que ele disse que me deixou intrigada, a primeira é que os muçulmanos  digamos, natos, não veem com bons olhos os que se revertem e que até tem uma certo preconceito  em relaçao aos neo revertidos. Isso ele disse com todas as palavras, e se ele disse quem sou eu pra discordar! E  eu acredito que seja assim mesmo, mas eh pá nao acho boa coisa nao, imagina voce se reverter e depois em mts ocasioes ser alvo de questionamento e preconceitos de seus irmãos de fé?   E a segunda coisa que me impressionou pela positiva é que a pessoa de Jesus, serve mais para unir cristãos e muçulmanos do que para dividi-los, por que se para os cristãos Ele é Deus, para muçulmanos ele merece respeito por ser um profeta de Deus.  Eu particularmente gostei muito dele ter falado isso. E você o que acha? Eu quero saber viu. Beijo lindonas.

12 comentários:

Ursinhu da Juh =] disse...

Amiga acho muito interessante !!!.
A bíblia diz: "Conhecereis e preosseguireis em conehcer ao SENHOR". Tenho certeza que DEUS está muito alegre com você.!!!!!
Também acho que não é por acaso que DEUS nos colocou na vida de nosso habibi, pois se não fosse por nós talvez jamais seria conhecida realmente a verdade por eles e sim somente de ouvir falar e nós jamais abririamos os olhos para a realidade de um mundo como o deles. DEUS tem um plano nas nossas vidas creia nisso =].
Eu também pesquiso muito e leio sobre a vida de Maomé, e a base do meu estudo é comparar seus ensinamentos e atitudes frente as mais diversas situações com as atitutes e ensinamentos de JESUS. Realmente JESUS tem sido o maior exemplo na minha vida =].
Agora quanto ao preconceito do pessoal da meskita frente aos novos revertidos acredito que seja verdade. Minha sogra uma vez me disse que não adiantaria eu me reverter que na meskita não funciona assim. Se eu me revertesse não aliviaria a situação com meu habibi pois em certos aspectos eles são muito fechados. Eu fiquei um pouco assustada mas talves seja porque eles pensem que é fogo de palha e que esses novos revertidos podem dar mal testemunho da religião aí eles ficam um pouco receiosos, acho qu eé isso =/

Neide Barbosa Shah disse...

Pois é Juh, Deus tem um próposito para nós para nao dizer uma missao. Sejamos merecedoras da confiança Dele em nós.
Para complementar o que disseste, outra vez o sheik disse que a conversão pelo casamento nao é conversao de "qualidade". De qualidade seria uma pessoa por seus próprios meritos chegar sozinho ao islao, esquisito ne? Deve ser nesse sentido que a tua sogra disse isso. Vai la saber :) bjs

Sahira Anish disse...

Olá Neide querida, olha li e reli seu post e fiquei pensando um pouco na minha vida, como cheguei ao Islam. Fui católica de nascença, mas não praticante. Aos vintes e poucos anos, eu por iniciativa própria procurei a Igreja e fiz todos os votos católicos, batizei adulta, fiz primeira comunha e crisma. Participei dos movimentos carismáticos da igreja católica, tinha ministério e tudo. Movimento este que foi de fundamental importância pra minha vida pq pude começar a ler a bíblia, pedir orientação de Deus, seja sempre louvado, a leitura diária da biblía me fez afastar da Igreja Católica. Por conta de idolatrias, gostaria de deixar aqui que isso foi minha experiência. Como havia nascido católica, batizada adulta..fiquei envergonhada, não aceitava mudar de relgião. Fiquei uns dois anos somente, lendo a biblía e minhas orações diárias sem frequentar nenhum templo. Mas não estava feliz...chorava fazendo minhas orações, pedia perdão a Deus por não estar frequentando a igreja e tudo mais...Foram dias tristes, cheios de incertezas. Até que um dia resolvi fazer um curso de evangelização numa igreja evangélica, curso de 6 meses. No começo não estava querendo me batizar mas sim conhecer os preceitos evangélicos/protestantes. Mas na metade do curso já sabia que iria me batizar! Terminei, batizei, fiz mais 2 meses de curso para fazer parte dos trabalhos da igreja, uma conversa com o pastor e ao responder algumas questões, meu dom estava voltado mais uma vez para o ensino. Participei de ministrações como levar a mensagem de Jesus, fiz retiros, frequentava todas as atividades da igreja e tudo mais. Mas, havia ainda uma inquietação, questionava algumas coisas, me sentia culpada por questionar: em um único comment é dificil listar meus questionamentos e indadações... Eis que o Islam surge na minha vida, a princípio me sentia pecadora somente de imaginar que Jesus não era filho de Deus, mas sim um profeta de Deus, amado, querido...O Islam veio tão fortemente em encontro com minha razão, havia respostas para todas as perguntas...logo não me sentia mais evangélica, pq o Islam me convencera de tudo...mas meus sentimentos por Jesus eram ainda tão fortes que me sentia traidora...ehehe Mas o Islam faz nosso amor por Jesus (as bençãos de Deus estejam com Ele) ainda maior. O amor pelo profeta Mohammed ( que as bençãos de Deus estejam com Ele) foi chegando aos poucos, quando comecei a conhecer sua história, sua vida. Só podemos amar o que conhecemos, o amor que temos por Jesus é devido ao conhecimento da sua linda história e mensagem de Paz. O Islam é minha vida, não tenho mais dúvidas, ainda estou aos poucos tentando lidar com a religião e minha família...O Islam me traz as respostas para as perguntas que colecionei em toda minha vida!

Eu espero que Deus, lovado seja sempre, te guie e te ajude.

Beijinho, Sahira

Sahira Anish disse...

Ah Neide e Juh, só para esclarecer, devemos ir para o Islam se acreditarmos nos 5 pilares da religião e 6 pilares da Fé por nossa própria vontade e não por alguém, seja casamento, seja medo de não casar ou perder alguém...Allah, louvado seja, é tão misericordioso que nos deixou livres para escolher nossa religião, nunca somos obrigados a nada. Fazemos tudo simplesmente por obediência e submissão a Deus, louvado seja.

beijinho,
Sahira

Neide Barbosa Shah disse...

Oi Sahira, fico feliz que você depois de tanta procura ter encontrado no islã a religião que te conduz a Deus. Louvado seja Deus!
E converter por causa de casamento não é opção pra mim e nunca dei a entender isso Deus me livre. Tomamos um exemplo: A maria é esposa de um muslim, ela pode ter se interessado pela religao dele, pode ter se identificado e consequentemente revertido. Ao passo que que a Susana, nunca teve contato com muçulmanos mas por si propria começou a estudar ao ponto de reverter tambem. Agora vejamos, vai alguem dentro da comunidade comparar e dizer que a conversao da Susana foi melhor que a da Maria, so por que a da M. foi feita por que é esposa de um muslim? Francamente, nao aceito e nao concordo com isto. E ia ficar fula se acontecesse comigo! heheh foi isso que eu quis retratar tendeu honey?

Sahira Anish disse...

Oi Neide, sim concordo com vc ...não quis dizer isso. Há várias formas de se conhecer a relgião, mas isso precisa ser uma decisão unicamente da pessoa. isso que quis dizer. Acho que nesse ponto sou meio ingênua, não sei o q pensar porque já fui à mesquita aqui e fui muito bem recebida. Quando estava conhecendo o Islam, fiz amizades no Islam Chat (ICQ) Todos me reberam muito bem e me dizia que Deus, louvado seja, me amava muito pq não havia nascido muçulmana mas Ele me escolheu. Significa que sou abençoada por Deus, louvado seja, ter me mostrado o Islam. Então, pra mim chega ser estranho isso. Penso que não seja uma opnião de todo mundo, mas de um grupo, penso que um pequeno grupo. Até o momento, todos os muçulmanos que conheço têm me tratado com carinho, sempre me senti muuuuuito acolhida e amada pela comunidade.

Outra coisa, não se importa pq os outros pensam, Deus, louvado seja, conhece nosso coração nossas intenções, então, apenas isso basta.

Beijo grande pra você. Achei muito legal vc por aqui essa discusão!
Salam,
Sahira

khadijah disse...

olá Neide...encontrei teu blog..muito interessante...
Coincidentemente, tive uma relação parecida com a tua com a igreja católica. Não cheguei a jurar os votos, porque me converti ao islam ...mas foram anos muito bons. Não mudei de religião..apenas adicionei conhecimento e experiencia...vejo as coisas assim. Sou noiva de um paquistanes; nos conhecemos pela internet há alguns anos e estudamos juntos na Coréia do Sul. Ele está terminando o mestrado lá esse ano...e eu a faculdade, psicologia, aqui no Brasil. Gostaria de ter amizade com mulheres que vivem algo parecido com o que eu vivo (e amooo)...li rapidamente algo sobre transtorno bipolar, ir ao psiquiatra...não lembro se era sobre vc...caso seja...não se preocupe querida, é tudo muito controlável...claro que sozinhos não dá pra segurar a barra...mas com a ajudinha de um profissional tudo ficará melhor...e...não se esqueça, o profissional adequado pra cuidar disso é o psicologo, não o psiquiatra, que fará o papel apenas de lhe receitar uma medicação que apazigue esse top de humor...mas não irá te diagnosticar tampouco tratar ok....
beijinhosssss...Khadijah

Neide Barbosa Shah disse...

Hi Khadija,
Muito bem vinda!
Transtorno bipolar? Psiquiatra? Psicologo?, Medicação? Vc se enganou querida, não sou eu de certeza!
Beijinhos.

Anônimo disse...

Eu ja me reverti. Me identifiquei com a religiao. bjs otimo blog

Neide Barbosa Shah disse...

Olá Anónimo, que bom que você já encontrou o teu caminho. Desejo felicidade. Volte sempre :)

Mia disse...

Oii Neide!
Amei conhecer um pouco mais a tua história =)
Entendo quando o sheik diz que muitos dos que se convertem ao Islão deve-se a outras causas e não à vontade real de ser muçulmana, como é exemplo o casamento com um muçulmano. No entanto, não acho certo generalizar e há que analisar as vontades e motivos de cada pessoa.

Sinceramente, sinto-me muito mais próxima do Islamismo do que do Cristianismo. Nunca imaginei que na vida iria dizer isto...
Mas converter-me está fora de questão, pois não quero dar desgosto nº2 à minha mãe. Já bastou ter casado com paquistanês. E neste momento, o mais importante é não desiludir mais a minha mãe.

Se eu me converter um dia, só lá mais para a frente, e depois de estudar muitooo sobre o tema. Senão por enquanto estou bem assim. E também confesso, que tenho esta dualidade, sinto mais próxima do Islão, identifico-me mais com o que Alcorão do que com a Bíblia. No entanto, fui educada com costumes cristãos com o Natal ou a Páscoa e deixar isso de lado, também me iria custar muito. Ou seja, acabo por estar dividida. Porque é conhecimento/identificação vs costumes e práticas que vem de infância.

Beijinhos

Anônimo disse...

Não são todos os cristãos que veem Jesus como Deus. Nem o próprio Jesus se dizia Deus, sempre se referindo a Ele como Pai. A decepção com muitas religiões cristãs está no fato de estudarem traduções deturpadas do original da bíblia, escrito em hebraico, com muitas alterações feitas nos concílios, com interesses não religiosos por trás. Muitas traduções para o português usam termos e sentidos que sequer existiam na época! Para entender a bíbia, é necessário compreender o tempo em que ela foi escrita, os costumes e cultura locais, dentre outros aspectos. Mesmo os muçulmanos não podem descartar a bíblia, já que muito do que se vê no corão é baseado nela.